n°.06 - 12/2015

O Gestor do PESC apela ao Conselho e comunidades do entorno lembrando que “O fogo sempre matou vidas”.

Com o advento do aquecimento global os incêndios vem tomando astronômicas proporções de destruição ambiental.

As ameaças e ocorrências de incêndios florestais na nossa Região se intensificaram, inclusive estão adentrando no interior da Mata Atlântica umbrófila densa.

Estamos diante de uma Calamidade Pública com potencial de se agravar. Até dentro do Parque ocorreu incêndios criminosos com potencial elevado.

Precisamos conter essa pratica tão nociva à todas as formas de vida.

Não apenas preocupados, mas atuantes, os Guardas-Parques do PESC sob supervisão do Líder Ednaldo de Souza empenharam-se no controle e erradicação dos diversos focos de incêndio na região.

A Revista "Páginas de Direito", no nº 1.131 publicou o ensaio “Crime de incêndio ambiental: conceituação e diferenciação”. com “as diferentes tipificações penais que têm em comum o fogo como meio para a afetação nociva de bem jurídico penalmente tutelado”.

Ou seja, provocar incêndio de significativa proporção é crime previsto e com pena de reclusão, de dois a quatro anos, além de multa.

Versão PDF

Expediente:
Informativo mensal do Parque Estadual da Serra do Conduru - Projeto Amigos do PESC: fortalecimento da Gestão. 50 exemplares, afixados nas Comunidades do entorno do Parque. Repórteres: Ednaldo de Souza; Iuri Ribeiro; Rosalvo dos Santos; Thalles Santana. Serra Grande, Uruçuca/BA. Publicação: Makak. Apoio: INEMA; Mecenas da Vida - Patrocínio: Instituto Arapyaú. Contato: pescanoticia@parquedoconduru.org

Traduzir página

Topo